Ponte H para Arduino

Depois de mais de um mês, estou de volta, nesse período o blog não ficou jogado às traças, pelo contrário, aproveitei para atualizar a interface (caso você ainda não tenha notado). Visual novo, mais espaço para texto e imagens, e a imagem superior (header) fiz no GIMP (não gosto do Photoshop), fiz simples pois não queria uma imagem pesada demais para que carregasse mais rápido as páginas do blog. Chega de papo, e vamos ao principal.
A postagem de hoje é sobre a construção de um dispositivo muito útil em diversas aplicações, inclusive para que sua placa Arduino possa acionar motores. Vamos utilizar circuitos integrados para esta montagem, então é melhor você dar uma olhada no datasheet de cada um (não se preocupe, eu coloco o link para cada) para escolher o melhor para seu caso.
Atenção: Esta postagem não tem a intenção de ser uma "receita de bolo", mas dar informações necessárias para que você possa construir sua própria Ponte H. Então você terá que estudar mais, fazer mais procuras pela internet e assim montar corretamente o circuito.

O que é uma Ponte H?
Uma Ponte H nada mais é do que um circuito utilizado para acionar motores DC (corrente contínua), o sinal para a ativação dos motores pode provir de um microcontrolador, radio controle, etc. Neste caso, nosso sinal irá provir de uma placa arduino, com o sinal (PWM ou não) a Ponte H irá acionar os motores a ela conectados, geralmente um ou dois, existem vários circuitos de Ponte H, aqui iremos abordar  dois tipos, ambos com CIs (circuito integrado) de baixo custo e fácil de encontrar, Pontes H com transistores não serão abordadas, são mais simples e apresentam limitações.
Atenção: As Ponte H abordadas aqui não podem ser utilizadas para motores que necessitam mais corrente do que o que o CI suporta, e antes que você pergunte, não, estas ponte H não podem ser usadas em robôs de combate pois a corrente consumida por estes motores é muito alta (muitas vezes mais de 10 Amperes). 

Por que utilizar uma Ponte H?
A corrente elétrica fornecida na saída de microcontroladores (nesse caso o ATmega do Arduino) é muito baixa, e muitas vezes pode ser usada apenas para acender LEDs, fora isso você deve usar um circuito maior para poder acionar motores, relés, lâmpadas, etc.
Quando digo que a corrente é muito pequena, é porque ela é pequena mesmo, por exemplo a corrente na saída do ATmega é de apenas 40mA constantes, mas como talvez você saiba, quando se liga um motor a corrente de partida é maior que a corrente nominal, ou seja, para seu motor entrar em rotação ele vai precisar de uma corrente maior do que a corrente normal de funcionamento para quebrar a inércia do eixo, isso na maioria das vezes (alguns motores demoram para atingir sua velocidade normal de funcionamento, suas correntes de partidas são menores ou iguais a corrente nominal de funcionamento).
No nosso caso o ATmega envia o sinal (fraco) para a Ponte H, que envia um sinal "forte" o suficiente para colocar (e manter) em rotação motores elétricos.

Quais são os Circuitos Integrados?
Neste tópico vamos abordar 2 Circuitos Integrados que você pode encontrar facilmente (se não encontrar em uma eletrônica procure na internet, existem vários vendedores e sai mais barato) são eles:
O L293:

E o L298:

O primeiro você vai encontrar com várias denominações como L293, L293B, L293E, L293D. E o segundo com denominações como L298, L298N, entre outros.. Preste atenção para comprar o correto, neste caso o L293B e o L298N.
Atenção: É possível que quando você for comprar o L298 (caso seja sua escolha) não encontre na eletrônica, e no mesmo instante o vendedor lhe ofereça o L297 no lugar deste. Diga NÃO! O L297 serve para controlar motores de passo, possue pinagem diferente e não serve para nosso caso.
Para baixar o datasheet do L293B clique aqui, e para baixar o do L298 clique aqui.
Talvez você já conheça o L293B pois é o mesmo CI que utilizei na construção do meu segundo robô seguidor de luz (postagem aqui), e ambos os CI eu comprei no Mercado Livre pois não encontrei nas eletrônicas da minha cidade.
O L293B suporta 1A na saída e o L298N suporta 2A, para ambos sugiro a utilização de um dissipador, para melhorar a dissipação do calor gerado e evitar que o CI queime.

As imagens: 
As imagens não estão muito boas, pois tive que tirar foto com o celular, mas com certeza é melhor que nada. A seguir uma imagem da minha primeira Ponte H, utilizando o CI L293B:

Nessa  imagem temos 5 Bornes utilizados para alimentação (1), entrada de sinal (2) e saída de sinal (2), e de componentes ainda temos:
- 2 capacitores pequenos: 1 para a entrada de tensão do CI e outro para a alimentação da saídas;
- 2 capacitores cerâmicos: para a filtragem de ruídos nas saídas;
- 2 capacitores eletrolíticos: Para a regulação de voltagem;
- 1 regulador de voltagem (LM7805): mantém tudo funcionando em 5V;
- 1 L293B: o CI da nossa ponte H;

E aqui 2 imagens da outra ponte H que montei, dessa vez utilizando o CI L298N:

Nessa foto você pode ver que adicionei capacitores cerâmicos também na entrada de tensão do CI, isso porque era recomendado no datasheet do mesmo
E a segunda imagem (vista de trás do dissipador):

Com estas imagens você conseguiram ter uma idéia de como é uma ponte H, descobriram para que serve e já sabem mais ou menos quais os componentes utilizar, a partir de agora você precisa definir qual tipo montar (qual o CI) e a partir disso ler mais a respeito na web e claro passar em uma eletrônica e comprar os componentes.
Um abraço e até mais.

Fontes: 
- Datasheets dos CIs (links na postagem);
- Controlando motores com L293D; (agora corrigido!)
- Esquema Ponte H com L298 - material enviado ao site robocore (criado por mim);

2 comentários: