Mars Science Laboratory - Parte 2 - O robô

Dando continuidade aos posts sobre a missão MSL, agora é a vez do robô Curiosity.
O Rover possui 3m de comprimento, pesa 900Kg incluindo 80Kg de instrumentos cientificos. Como disse à BBC John Grotzinger, cientista do projeto, “Ele é do tamanho de um Mini Cooper com uma base de Humvee”.
O robô possui:
- Corpo: uma estrutura que proteje os "orgãos vitais" do rover e mantém a temperatura controlada. Como a estrutura de um carro, o corpo do robô é resistente onde a camada mais externa é a que proteje o computador e os eletrônicos do rover. 
- Rodas e "pernas": para a mobilidade, o rover possui 6 rodas, cada uma com seu próprio motor individual. As duas rodas da frente e as duas rodas de trás também possuem motores individuais de direção o que o permite girar 360º sem sair do lugar, passar por cima de obstáculos de até 65cm e pode se locomover a uma velocidade de 4cm por segundo em terreno plano (0,14Km/h - é não é uma ferrari...).
 
- Cérebros: O computador do Rover (o "cérebro dele") está dentro de um módulo chamado de "The Rover Compute Element" (RCE) dentro de seu corpo.
O computador é composto de equipamentos que se comparam a um laptop "top de linha", ele contém uma memória especial que tolera o ambiente de radiação extrema do espaço e possui sistema de proteção contra ciclos de "desligamento" assim os programas e dados permanecem e não são acidentalmente apagados quando o rover desliga durante a noite.
A memória inclui 256MB de DRAM e 2GB de memória flash, ambas com detecção e correção de erros, além de 256Kb de EEPROM. O rover também possui uma "Unidade Medidora Inercial" que provê informação de 3 eixos da posição, isso permite que o robô tenha movimentos precisos e assim estimar o ângulo máximo que o dispositivo pode se locomover sem "tombar" para os lados.
Atividades como tirar fotos, dirigir e operar os instrumentos serão feitos por comandos transmitidos pelo time de voo em uma sequência de comandos. O rover vai gerar uma engenharia constante, "telemetria de limpeza" e análise e relatórios de eventos periódicos que são armazenados para eventual transmissão uma vez que a equipe de vôo solicita as informações do rover.
Falei "cérebros" com "S" porque o robô possui dois computadores estando um normalmente adormecido, em caso de problemas com o computador principal o outro computador pode ser despertado para assumir o controle e continuar a missão.
- Controle de temperatura: Dissipadores internos, uma camada de isolamento e mais outros meios.
- "Cabeça e pescoço": um mastro de câmeras que dão ao robô uma visão em escala humana.
- Olhos e outros sensores: câmeras e instrumentos que dão ao rover informações sobre o ambiente. (em um próximo post falarei com mais detalhes sobre estes intrumentos).
- Energia: o rover irá carregar um sistema de energia por radioisótopos que gera eletricidde do calor gerado pelo decaimento radioativo do plutônio. Essa fonte de energia dá à missão uma operação de um tempo de vida igual à 1 ano Marciano (687 dias terrestres) ou mais, enquanto provê siginificativa mobilidade e flexibilidade de operação, maior capacidade de carga útil científica, e exploração de uma área muito maior de latitudes e altitudes do que era possível em missões anteriores à Marte.
- Comunicação: Nas "costas" do robô existem duas antenas, uma de baixo-ganho que envia e recebe informações em todas as direções (antena omni-direcional), transmitindo ondas de rádio em baixa frequência para a "Deep Space Network" (antenas na Terra). A outra antena, de alto-ganho pode enviar um bloco de informações em uma direção especifica e é "manobravel" assim a antena pode se mover diretamente para qualquer antena na Terra.
Por hoje é isso, um abraço e até a próxima.
Fonte:

0 comentários: